Marketing On-line

promo copy copyA internet vem evoluindo ano após ano. Essa afirmação não é novidade para ninguém. Porém, ao analisar o papel da internet no mercado, principalmente nas estratégias de marketing das grandes, e até médias e pequenas empresas, podemos observar  o quanto a rede evoluiu conceitualmente.

Observamos uma lista enorme de possiblidades, que combinadas formam um leque quase infinito de opções: Links patrocinados, banners publicitários, e-mails marketing, blogs, newsletters, redes sociais, etc. Cada vez mais podemos observar uma união entre os departamentos de ti e marketing, unindo forças para criar estratégias que possam chegar aos consumidores de forma eficiente e barata.

Hoje a internet está em toda parte, aparecendo como protagonista em diversas campanhas de marketing, porém somente para quem quer, e pode,  realmente aproveitá-la. O profissional de comunicação e marketing que não aplicar todos os recursos disponíveis para explorar a marca certamente estará subaproveitando todo o potencial das ferramentas e os produtos da empresa em que atua serão destruídos pela geração que vai dominar o mercado.

O marketing on-line traz o que realmente interessa às campanhas de marketing hoje em dia: números, mensurações, ROI, resultados, accountable. Muitos dos profissionais da área já sabem disso, mas ainda falta atribuir o verdadeiro valor a essas possibilidades. Não é raro que cases de empresas de tecnologia e, sobretudo, cases inovadores que exploram ao máximo as ferramentas da web são amplamente ovacionados em congressos e eventos de marketing.

Assim, o necessário (quando afirmo necessário, estou me referindo a uma obrigação) que os profissionais da área, ou das áreas, entendam essa nova ordem: a que podemos estar em um lugar de forma diferente, de forma a intervir no que pode acontecer. Mai iNão adianta pensarmos que essas companhias, que primam pela sua identidade, são, em sua maioria, de grande portmportante ainda é perceber que esta evolução conceitual pode começar de baixo para cima, sem que valores exorbitantes sejam investidos para que uma ação bem direcionada dê resultado.

Será o fim dos grandes blockbusters comerciais? Isso eu não posso responder, mas tenho condições plenas de afirmar que quem começar primeiro chegará à frente.

Search marketing lidera investimentos

googleEm 2009, o search marketing (ou links patrocinados) vai liderar os investimentos na internet, com melhorias como o refinamento da busca e novas tecnologias para identificar o comportamento de navegação do usuário. Segundo o eMarketer, está previsto um investimento de US$ 10,4 bilhões em anúncios de buscas no mundo – praticamente o dobro do que será investido em banners.

Raul Órfão, diretor geral da Tribo Interactive, ressalta que nos próximos anos as buscas devem se tornar mais pertinentes e focadas. “Há um movimento grande para oferecer às pessoas o que procuram de maneira mais rápida e conhecer melhor seus hábitos de atitudes, para que a mensagem seja mais focada”, observa.

O mercado de busca é responsável, conforme Marcelo Sant’Iago, diretor geral da MídiaClick, pela retomada do crescimento da publicidade on-line no mundo todo. “Nos Estados Unidos e Inglaterra, o search marketing é maior do que a soma de todos os formatos de mídia display juntos (banner, vídeo, patrocínio, e-mail e rich media). É nos sites de busca que a batalha final pelo cliente é travada”, diz Sant’Iago.

Outra expectativa do mercado é emplacar a publicidade em game. Segundo Raul Órfão, novas tecnologias para games vão proporcionar maior imersão e diversão com a marca. “Há estudos que apontam que determinados conteúdos são mais eficientes dentro de uma linguagem de game, do que na forma de um texto”, fala ele.

A Tectoy, que no final do ano passado lançou o videogame Zeebo, aposta que a publicidade será uma das principais fontes de receita do novo console. “Enxergamos um potencial muito grande para advertising nesta plataforma. Vamos comercializar espaço, sim”, afirmou Fernando Fischer, diretor-presidente da Tectoy.


Tendências

Independente do formato de anúncio, criar engajamento com o consumidor continuará sendo a principal estratégia para a publicidade na internet. Outra tática será a contextualização da mensagem. “É necessário conseguir engajar o usuário de tal maneira que ele fique entretido com a peça. A publicidade não pode ser intrusiva, tem de ser contextualizada, de acordo com o comportamento de navegação do usuário”, diz Peter Gerzai, gerente geral da RealMedia.

De acordo com João Muniz, sócio-presidente da LOV, as ações para celular representam a maior tendência do mercado internacional e também no Brasil. “É um aparelho que acompanha as pessoas em todos os lugares. Por isso é um instrumento muito poderoso e há uma infinidade de comunicações que podem ser realizadas via celular”, diz Muniz.

Mas graças à globalização da informação, o Brasil não fica atrás dos países desenvolvidos no que se refere às novas tecnologias. “Não há uma grande tendência lá fora que não tenha aqui. Mensuração, análise de dados, ROI, convergência de dados… tudo isso nós temos”, diz Renato de Paula, diretor regional da OgilvyOne na América Latina e diretor geral da OgilvyOne Brasil.


QR Code

Outra ferramenta que promete fazer sucesso e tornar-se mais presente na vida dos consumidores brasileiros é o QR Code, a nova versão do código de barras no qual o consumidor manda um SMS do celular com o código impresso no anúncio e faz o download do arquivo QR Code. A partir daí, basta tirar foto do QR Code do anúncio, que o leva para o site WAP do produto/campanha. “Talvez neste ano isso [QR Code] pegue. A Ásia já se utiliza do QR Code nos PDVs, em outdoors e embalagens”, comenta Renato de Paula.

Fonte: Propmark
14/01/2009